Mulher na Glassdrive - O caminho para a igualdade

dia-da-mulher-glassdrive

Hoje, dia 8 de março, é Dia Internacional da Mulher. Para o celebrar, fomos falar com duas mulheres que fazem parte das nossas equipas, para que pudessem dar o seu testemunho.

Na Glassdrive temos percorrido um caminho para a igualdade, lutando para que as mulheres sejam vistas como técnicas capazes, colaboradoras resilientes e capazes de tudo!
 

dia-da-mulher-glassdrive


Nome: Olga Pinto

 

Função: Rececionista, apoio à montagem, gerente de centro

 

Centro Glassdrive: Glassdrive Porto Via Rápida

 

Data de início de trabalho na Glassdrive: 1/4/2016

 

O que mais gosta no trabalho: Lidar com o público e com as máquinas, os carros

 

Como define a marca Glassdrive: Líder no mercado, excelência no atendimento ao cliente e escolha do consumidor 2024

 

O que queria ser em criança: Pilota de aviões

 

O que é que a faz sorrir: Viajar e os meus filhos

 

Carro dos seus sonhos: Maserati

 

Como se sente ao ser Mulher e trabalhar numa área predominantemente de homens?

 

O.P.: Sinto-me às vezes discriminada, os clientes homens (maior parte das vezes mais velhos) não nos vêm a nós mulheres como operárias capazes de fazer os serviços. Muitas vezes procuram um homem para fazer perguntas, porque subentendem que a mulher não é capaz de fazer este tipo de serviço, que muitas vezes ainda é ligado a um trabalho de homens.

 

Em algum momento o facto de ser mulher atrapalhou a sua trajetória profissional?

 

O.P.: Não, não me atrapalhou.

 

Sente igualdade perante os outros colaboradores homens que trabalham diretamente consigo? Ou seja, sente que na Glassdrive existe essa igualdade e oportunidade?

 

O.P.: Sim. Eu desde que vim trabalhar para aqui, senti sempre que a Glassdrive procura essa igualdade de género. Até por isso, este centro era chamado o centro das mulheres. Chegamos a ser só mulheres e, realmente foi-nos dada essa oportunidade para mostrarmos que somos capazes e que somos iguais aos homens a fazer o mesmo tipo de serviço.

 

Já sentiu alguma vez algum tipo de preconceito com o facto de ser mulher? (Uma vez que o centro de Via Rápida já foi composto por uma equipa só de mulheres).

 

O.P.: Sim, sentíamos. Principalmente eu, que normalmente vou atender o cliente e este pergunta-me sempre se pode falar com um técnico. Eu respondo sempre “estou aqui eu” e a resposta muitas vezes é: “Mas a menina percebe?!”. “Eu percebo”. Ficam sempre desconfiados, com pé atrás e não vêm igualdade entre o homem e a mulher, principalmente neste ramo automóvel.

 

O que acha que podemos fazer para melhorar e assegurar a igualdade no seu ambiente de trabalho?

 

O.P.: Continuar a apostar nas mulheres!

 

dia-da-mulher-glassdrive

 

Nome: Vera Reis

 

Função: Instaladora de Vidros

 

Centros Glassdrive: Glassdrive Gaia Santo Ovídeo

 

Data de início de trabalho na Glassdrive: 7/2017

 

O que mais gosta no trabalho: Aprender coisas novas todos os dias

 

Como define a marca Glassdrive: A melhor no mercado

 

O que queria ser em criança: cabeleireira

 

O que é que a faz sorrir: Ver a minha família sorrir todos os dias

 

Carro dos seus sonhos: Mini Cooper S

 

Como se sente ao ser Mulher e trabalhar numa área predominantemente de homens?

 

V.R.: Sinto-me bem, até porque nunca imaginei que algum dia iria trabalhar nesta área.

 

Em algum momento o facto de ser mulher atrapalhou a sua trajetória profissional?

 

V.R.: Como mulher não, mas talvez a minha estatura em algumas situações tenha atrapalhado um bocado, mas nada que não se tenha resolvido.

 

Sente igualdade perante os outros colaboradores homens que trabalham diretamente consigo? Ou seja, sente que na Glassdrive existe essa igualdade e oportunidade?

 

V.R.: Sim, sinto igualdade até porque estar cá hoje é devido à oportunidade que sempre me deram!

 

Já sentiu alguma vez algum tipo de preconceito com o facto de ser mulher? (Uma vez que já trabalhou no centro de Via Rápida e era composto por uma equipa só de mulheres).

 

V.R.: Por parte do cliente sim, porque o primeiro impacto ao ver uma equipa só de mulheres é maior e muitas vezes discriminatório.

 

O que acha que podemos fazer para melhorar e assegurar a igualdade no seu ambiente de trabalho?

 

V.R.: Acho que nada, acho que já existe essa igualdade.
 

Na Glassdrive trabalhamos todos os dias com mulheres que nos inspiram. 
Mulheres corajosas, resilientes e que nos fazem acreditar que tudo é possível.


Saiba mais sobre a Glassdrive